04/10/2019

Biblioteca IPII

Aqui você encontra artigos científicos, ebooks, palestras e muito material para lhe auxiliar nos desafios da gestão.

As questões relacionadas aos vários modos de avaliação da qualidade dos serviços na área de saúde são um desafio aos gestores, acostumados a prestar assistência de qualidade ao paciente, sem conseguir avaliar a eficácia. Diante da busca dos profissionais de fisioterapia por um estilo de gestão diferenciado o qual objetiva a implementação de melhorias contínuas com enfoque no atendimento das exigências dos pacientes (consumidores), no conhecimento de concorrência e na redução dos custos, este artigo tem como objetivo identificar as abordagens presentes na literatura acadêmica sobre o tema e suas características históricas, mapeadas pela revisão sistemática de literatura. Para tal, realizou-se uma busca sistemática na literatura utilizando os termos “quality management AND physiotherapy” na base de dados SCOPUS, sendo realizada a análise e interpretação dos dados com base na Bibliometria. A busca retornou 119 documentos sendo possível observar que o número de publicações cresce paulatinamente ao longo dos anos. Após a análise inicial e tendo como foco a qualidade em fisioterapia voltada para a gestão das organizações nesta área, optou-se por um segundo filtro, restando 21 artigos dos quais elaborou-se uma meta-análise, resultando em uma classificação por objetivos dos estudos e suas argumentações sobre o tema, identificando seis categorias. Após a revisão acerca da qualidade em fisioterapia sob a ótica da gestão organizacional, verifica-se a existência de uma lacuna na área. Destacando- se necessidade de pesquisas interdisciplinares entre a área da saúde e da gestão em um trabalho conjunto criando um sistema de mensuração da qualidade em serviços de fisioterapia.

O tempo de permanência de pacientes em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) possui impactos gerenciais, financeiros, morais e psicológicos para todos os envolvidos. O presente trabalho tem como objetivo identificar a relação de relevância dos procedimentos de Mobilização Precoce realizados por fisioterapeutas na UTI para o tempo de internação desses pacientes.